BLOG DO VANDER LUIZ DESTAQUE

Morte do governador Mário Covas em 2001 teve edição extra da Folha de São Paulo. Teria sido a última?

Edição extra da Folha de São Paulo com a morte do governador Mário Covas (2001)

A morte do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, neste domingo 16 de maio de 2021, traz uma lembrança do jornalismo impresso.

Quando da morte de Mário Covas, avô de Bruno, em 6 de março de 2001, a Folha de São Paulo rodou uma edição extra com os detalhes do falecimento que ocorreu de madrugada e trajetória política do governador que também foi prefeito de São Paulo, entre outros cargos públicos.

A edição do dia foi concluída no final da noite anterior às 23h30. Os leitores precisam tomar conhecimento da informação que dominava o noticiário do rádio e da televisão e da iniciante mídia digital.

Edição de 6 de março de 2021. Primeira página destaca que “Covas atinge pior estado desde sua internação”

Na página 8 do primeiro caderno, a Folha trazia as informações nada animadoras da saúde do governador Mário Covas que há meses lutava contra a doença.

No primeiro caderno, Folha informa o agravamento do estado de saúde do governador de S. Paulo

Um segundo clichê era normal nos bons tempos do jornalismo impresso, mas grandes acontecimentos mereciam uma edição extra que os fiéis leitores cobravam nas bancas ou diretamente na redação dos jornais.

Gostaria até que alguém pudesse confirmar a informação, mas acho que está foi a última vez que um grande jornal lançou uma edição extraordinária.

É provável que o Estado de São Paulo e outros jornais tenham lançado edições extraordinárias, mas lembro da Folha por ter visto o exemplar na redação da rádio Jovem Pan.

Vinte anos depois, a internet que dava os primeiros passos quando da morte de Mário Covas, acabou de vez com a chamada edição extraordinária dos jornais.

Portal UOL da Folha de São Paulo informa a publicação de um caderno especial sobre a morte de Covas

Em São Roque, O Democrata e Jornal da Economia publicaram algumas edições extras.

Edições reduzidas, com poucas páginas, mas com um grande assunto em evidência.  Por exemplo, resultado das eleições municipais e informações da morte do prefeito José Antonio Sanches Dias assassinado em julho de 2014.

O jornal cumpriu literalmente o seu papel e ganhou agilidade na tela dos computadores e celulares. A informação correta sempre terá o respeito do leitor, não importa a forma. Do papel ao digital a boa leitura segue indispensável.

Programa Linha Aberta

Arquivos

CATEGORIAS