Nota de falecimento. Minha mãe Ignez de Jesus Arruda, 90 anos

Ignez de Jesus Arruda no dia em completou 90 anos (15/09/2021)

São as linhas mais tristes que escrevo. Comunico o falecimento da minha mãe Ignez de Jesus Arruda, 90 anos, ocorrido na madrugada deste domingo (7 de novembro).

ATUALIZAÇÃO – O velório será a partir das 12h com o sepultamento neste domingo, às 17h, no Cemitério da Paz (São Roque).

Dona Ignez nasceu em 15 de setembro de 1931 e foi registrada três dias depois. Era viúva de Mário de Arruda Rosa (Marico) que faleceu em 2015. Deixa os filhos Valdemir Lúcio Rosa casado com Lourdes Maria Feriotti e Vanderlei Luiz Rosa casado com Márcia Aparecida Grando Rosa e os netos Arthur Feriotti Rosa, Augusto Feriotti Rosa e André Grando Rosa.

O primeiro filho Sidnei nasceu prematuro e viveu apenas três dias, mas sempre teve em seu coração de mãe o mesmo espaço que os irmãos. Apenas não teve o convívio neste mundo, mas que com certeza a conduzirá por um caminho de luz e paz. Assim seja!

Agradecemos antecipadamente todas as mensagens de carinho e orações neste momento e durante o período de internação. A nossa família deixa o melhor muito obrigado e gratidão às cuidadoras que estiveram com ela em sua residência nos últimos anos, aos médicos e às equipes da Unimed nos 23 dias de internação e do Residência Sakura (Alto da Serra) onde foi acolhida com todo carinho.

Guardaremos a lembrança de uma mulher que sempre procurou o melhor para a família. A nossa maior incentivadora nos estudos, no trabalho, na vida. A mãe que levava lanche no portão da escola durante o recreio, pedia determinação nas lições e ofereceu todo incentivo quanto ao futuro profissional e sempre indicou o caminho certo para as coisas da vida.

A pessoa que com certeza mais ouviu eu falando e narrando futebol no rádio e foi decisiva para que todos os meus sonhos profissionais se tornassem realidade. Tanto que a mesa da sua cozinha foi a primeira redação do Jornal da Economia recebendo o Carlos Mello como se fosse mais um filho. Carinho e gratidão que o nosso Carlão sempre retribuiu.

A mãe que ofereceu carinho, proteção, ajuda financeira, que superou tantas dificuldades e “que deu muito murro em ponto de faca” como costumava falar.

A Dona Ignez que por mais de 50 anos morou na Rua José Henrique da Costa mudando apenas de casa.

A menina criada no sítio no Bairro do Ribeirão filha de Delmino Felix de Oliveira e Etelvina de Jesus Martinho/Oliveira e irmã da Cida, Irene, Roque, João e Pedrinho (faleceu criança). Era a último filho vivo do casal.

Representa o fechamento de um ciclo em que foram plantadas sementes e brotaram novas árvores gerando frutos na sequência natural da vida.

No início, o trabalho de sol a sol no cultivo de pera e a lida dura na roça no cabo da enxada. A vinda para cidade, o trabalhou na Fábrica de Artefatos Látex e por muitos anos a dona de casa exemplar.

Possuia uma fé sem precedente com suas orações, novenas, missas e sempre rezando o terço.

No Cambará, na Capela de Nossa Senhora de Fátima quando ainda era dedicada à Santa Cruz e por isso a avenida chama-se 3 de Maio.

Nas igrejas da Matriz e São Benedito, Colégio São José e visitando todas as comunidades da paróquia, além de inúmeras excursões para romarias e festas religiosas.

Participou ativamente do Clube de Mães (ganhou um cartão de prata pelos anos de dedicação), da Legião de Maria (foi responsável pela ata) e da Novena do Perpétuo Socorro quando na década de 70 ainda era na casa da Dona Degonda na rua Capitão Fernão Paes de Barros (Cambará) até passar para na Igreja da Matriz nas tardes de quarta-feira. São inumeráveis suas participações na vida religiosa.

Nesses últimos dias, quando a enfermidade se agravou, tantas lembranças passaram pela cabeça e não dá registrar todas. É um momento de tristeza, mas também de ter a tranquilidade de saber que a minha mãe cumpriu uma abençoada jornada de 90 anos. Obrigado por tudo.

Vander Luiz

Vander Luiz

São-roquense, radialista e jornalista

4 thoughts on “Nota de falecimento. Minha mãe Ignez de Jesus Arruda, 90 anos

  • Avatar
    14 de novembro de 2021 em 23:07
    Permalink

    Acompanho seu trabalho desde a época da jovem Pan e neste momento de tamanha perda desejo meus sinceros pêsames. Muita força e paz para você, e que Deus conceda descanso eterno a sua querida mãe. A saudade estará sempre presente, e através dela a memória de quem se foi continuará viva!

    Resposta
  • Avatar
    7 de novembro de 2021 em 13:52
    Permalink

    Conheço vc só de vista e pela sua voz nas ondas do rádio e pelo seu canal do YouTube mas fiz questão de prestar minhas condolências neste momento difícil, perder um ente querido é difícil, perder a mãe é uma dor imensurável que já senti e sinto mas como vc descreveu no seu post ela cumpriu o sua missão aqui entre nós mas vai continuar a semear bondade ao lado de Deus que com certeza está confortando a todos de sua família. FORÇA!!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *