Manifestação em São Roque neste dia 28 de abril

 

Rogério de Souza*

Somando-se às inúmeras manifestações em todos os Estados brasileiros neste dia histórico de Greve Geral, a pequena cidade de São Roque, no interior paulista, assistiu, na tarde deste dia 28, um verdadeiro ato cívico.

Mais de 300 cidadãos circularam pelas principais ruas da região central se posicionando contra as reformas do governo de Michel Temer, especialmente, as Reformas da Previdência e Trabalhista.

Professor Rogério de Souza durante manifestação na Avenida Tiradentes

Entoando palavras de ordem como “Michel Temer, a culpa é sua, hoje a aula é na rua”, os manifestantes distribuíram material que explica as consequências das reformas do governo federal e o desmonte das raras políticas públicas que protegem a população brasileira.

Diferente dos boatos divulgados nas redes sociais, a manifestação ocorreu de maneira pacífica e contou com o apoio de muitos são-roquenses. No “Calçadão” e na praça da Matriz, muitas pessoas interromperam suas atividades para gritar “Temer safado já é aposentado!”.

O ato em São Roque foi organizado por diferentes coletivos: Frente Popular de São Roque, Sindicado dos Professores das Escolas Públicas Municipais (SIPROEM), Associação dos Profissionais da Educação de São Roque (APE-SR), Sindicado dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP), União Regional dos Estudantes (URE), Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (SINASEFE) e Intersindical.

A manifestação de 28 de abril é o terceiro ato de rua organizado por esses coletivos. No dia 31 de março, mais de 200 estudantes e professores realizaram, depois de passeata pelas principais ruas da cidade, uma reunião com vereadores na Câmara para questionar problemas locais, principalmente a qualidade da merenda, falta de material de higiene nas escolas, precariedade do transporte público e pressão política sobre servidores municipais que aderirem aos protestos.

Em virtude do ponto facultativo emitido pelo poder público e o não funcionamento da Câmara no dia de hoje, a sessão com os vereadores será remarcada para os próximos dias.

Mais uma vez a população são-roquense deu o seu recado: não aceitará a criminosa retirada dos direitos arduamente conquistados pela população brasileira em nome de uma suposta modernização da sociedade. O canto dos manifestantes é uníssono: NENHUM DIREITO A MENOS!

*Rogério de Souza, professor do IFSP (Instituto Federal São Paulo) de São Roque

Vander Luiz

Vander Luiz

São-roquense, radialista e jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *