DESTAQUE GALERIA

Bairro Santa Quitéria. Bico de água inagurado em 1959

Em 1959, a Santa Quitéria – um dos bairros mais antigos de São Roque -, não tinha água encanada e para amenizar o problema foi instalada uma torneira para atender aos moradores. A “inaguração” do bico de água reuniu muita gente. Moradores e autoridades, inclusive o prefeito Lívio Tagliassachi.

Em 1959, uma torneira para atender os moradores da Santa Quitéria. Foto arquivo Jair do Taxi

Foto enviada pelo amigo Jair de Oliveira (Jair do Taxi). Ele é filho de Alfredo de Oliveira que esta na foto.

Da esquerda para a direita: Vasco Português (tomava conta da chácara vizinha ao Recinto da Festa do Vinho, Junqueira), Alfredo de Oliveira (camisa xadrez; dono do bar ao fundo), Salvador dos Santos (chapéu branco; tio do ator Juca de Oliveira), prefeito Lívio Tagliassachi (terno escuro e chapéu), Bráulio Brasileiro Garcia de Jesus (terno preto; zelador da Praça da República), Synesio de Paula Santos (só o rosto; sem chapéu), Dr. Zozó (José Aparecido Ribeiro Lopes), Potiguar de Oliveira (Poti), Zizi (José de Abreu), Júlio de Lucca, Luiz Rodrigues dos Santos (Luizão do Taxi), Henrique Luiz Arnóbio (terno e gravata e de óculos), Bernardino de Lucca (camisa branca), Geraldo Ribeiro Lopes (terno escuro), sua esposa Neide Calfat e o filho Iberê. Sentado à direita Arlindo (irmão do Dito Marreco). Na parede do bar, foto de Mário Luiz Campos de Oliveira na campanha para prefeito de 1959.

No final dos anos 60, os moradores da Santa Quitéria sofriam com a falta d’água. Água encanada só no sonho e o negócio era encher as latas e as vasilhas em uma bica existente na rua Santa Quitéria.

“Era um encanamento antigo e quando a água não subia tinha que pegar água na bica do Jardim (Praça da República”, lembra a minha sogra Maria Helena Ferreira Grando, que morou no bairro até o início dos anos 60.

Outra opção era pegar água na casa da Nha Joana do Gregório (rua Joaquim Silveira Mello. “Mas tinha dia que ela falava que água estava baixa e que poderia pegar água por três dias”, completa Maria.

Meu pai Mário de Arruda Rosa (Marico) também morou na Joaquim Silveira Mello e conta que na sua casa tinha um poço onde as pessoas também pegavam água.

“O meu pai (Antenor de Arruda Rosa) fez um poço que deu muito água. Cinco da manhã a gente já escutava barulho de corda com os vizinhos pegando água”, lembra.

Na pesquisa para identificar as pessoas desta foto conversei com Zé do Nino, José Henrique Campos de Oliveira, José Carlos Baroni Garcia (Zé Balaio), Mauro Oliveira Pinto e Luizão do Taxi que se lembrou do tio Alfredo de Oliveira e do menino Arlindo.

“O meu tio era dono do bar e o Arlindo (falecido) trabalhava vendendo café na feira livre de São Roque.”

ANO DA FOTO

No verso tem a anotação de 1958, mas a primeira campanha de Mário Luiz foi em 1959, além disso tem a presença de Lívio Tagliassachi, prefeito de São Roque entre os anos 1956 e 1959.

A primeira eleição de Mário foi no dia 4 de outubro de 1959 com posse no dia primeiro de janeiro de 1960.

Entre outras curiosidades, a cena registra outros ex-prefeitos de São Roque. Além de Lívio Tagliassachi (1956/1959), Luiz Henrique Arnóbio (1969/73) e Bernardino de Lucca (1946/47, prefeito nomeado).

A falta de água encanada era um dos grandes problemas nos bairros de São Roque.

Cena comum naqueles anos era ver as mulheres lavando roupa no Rio Guaçú, na Avenida Brasil (trecho inicial da Avenida Varanguera).

Programa Linha Aberta

Arquivos

CATEGORIAS