SIMONE JUDICA - SÃO-ROQUICES

VESTIR COM AMOR: Voluntariado de São Roque beneficia crianças do Brasil e do mundo

Crianças haitianas órfãs, em orfanato de Porto Príncipe – Haiti (foto: divulgação)

Por: Simone Judica*

Quando se fala sobre crianças que vivem em comunidades ou países em situação miserável ou de extrema pobreza, de imediato se pensa em problemas como alimentação e moradia. Além deles, porém, outro ponto causa constrangimento e compromete a dignidade de inúmeros meninos e meninas mundo afora: a falta ou a escassez de roupas.

Onde as pessoas não possuem recursos para adquirir o mínimo necessário para comer e água potável é artigo de luxo, gastar com roupas é algo fora de cogitação. Sem contar que, em determinadas regiões, não há lojas ou outros tipos de comércio para se adquirir vestuário.

Embora ainda haja locais de muita pobreza no Brasil e inúmeras famílias daqui vivam na miséria, a solidariedade presente no País impede que crianças brasileiras andem nuas ou semidespidas e torna difícil imaginar que em diversos países há mães e pais que não podem prover ao menos uma peça para vestir em seus filhos ou lhes vestem uma roupa que ficará em seu corpo até se desfazer em trapos.

Criança em farrapos – cena comum na África (foto: divulgação)

Alexandre Ruffa Rodrigues da Silva, missionário e pastor da Igreja Metodista em Vila Conde, na capital de São Paulo, relata uma experiência marcante que viveu há dois anos, ao visitar Malawi, na África, um dos locais mais carentes do planeta.

Pastor Alexandre Ruffa, ao lado de uma voluntária e crianças africanas, em Malawi (foto: acervo pessoal)

“Em Malawi me deparei com uma cena que insiste em permanecer em minha lembrança e ainda grita dentro de mim. Enquanto caminhávamos para chegar à tribo de Ngabo, um menino de quatro anos passa sorridente, cumprimenta-nos e segurando sua calça pela cintura segue à nossa frente. Eu o acompanhei com os olhos e não consegui conter o choro, pois essa criança que segurava com tanta firmeza sua calça não tinha um pedaço de pano sequer para cobrir a parte de trás de seu corpo. Rapidamente providenciamos um calção para esse menino, o qual não nos deixou  por um instante enquanto permanecemos na tribo. A alegria e a gratidão dessa e de tantas outras crianças têm sido combustível para homens e mulheres continuarem os trabalhos de voluntariado. São vidas preciosas para a missão e ações humanitárias por todo o mundo. Mãos que trabalham por vidas que não conhecem”.

Pastor Alexandre Ruffa com dois irmãos, em Malawi – África (foto: acervo pessoal)

Vestir com Amor

Sensível a essa triste realidade, desde 2017 um grupo de mulheres de São Roque confecciona e arrecada roupas infanto-juvenis para enviar a locais onde há crianças em situação de vulnerabilidade social ou extrema pobreza, tanto no Brasil quanto no exterior.

O grupo Vestir com Amor é coordenado pela Sociedade Metodista de Mulheres da Igreja Metodista em São Roque e conta com a valiosa colaboração de voluntárias da própria igreja local, da Comunidade Evangélica Vale da Bênção em São Roque, da Igreja Evangélica de Vila Irene e de outras denominações religiosas.

        Brasão da Sociedade Metodista de Mulheres-SMM. Em Roque, a SMM completa 110 anos em 2020.

 Importante ressaltar que, durante o ano de 2019, mulheres da Igreja Metodista em Mairinque trabalharam ativamente na confecção de centenas de vestidos. Porém, em razão da dedicação a outros trabalhos, tiveram de interromper a parceria com o grupo Vestir com Amor.

Outro apoio importante ao grupo Vestir com Amor vem do Ministério Brasileiro da Igreja Metodista Unida – I.M. de Saugus, em Massachusetts, nos Estados Unidos. A pastora Mauren Julião, uma das colaboradoras da equipe, mudou-se para lá no ano passado e desafiou as mulheres da sua nova comunidade a envolverem-se na causa. Elas já enviaram duas doações até o momento e prometem seguir cooperando.

Para participar do grupo não é necessário fazer parte de qualquer igreja ou estar ligado a alguma instituição. Basta a vontade de vestir com amor as crianças da Terra.

Meninas órfãs do Haiti, felizes com seus vestidos novos, enviados pelo grupo Vestir com Amor

O grupo Vestir com Amor já enviou três doações a orfanatos de Porto Príncipe, no Haiti, um dos países mais castigados com desastres naturais, onde existem mais de mil orfanatos.

A maior parte das doações tem sido enviada para a África. Crianças de Angola e Malawi já receberam doações duas vezes e Moçambique, Quênia, Burkina Faso, e a região chamada de Chifre da África foram agraciados uma vez até o momento.

A pequena angolana, linda em seu vestido novo, enviado pelo grupo Vestir com Amor

As doações são enviadas por intermédio de agências humanitárias e organizações missionárias da mais alta credibilidade, como a Missão Antioquia, com sede no Vale da Bênção, em Araçariguama, e a Missão para o Interior da África – MIAF, cujo escritório no Brasil se encontra em Londrina. Para o Haiti, as doações são levadas pelo evangelista Edson Teixeira, ligado à Missão Desafio, sediada na capital paulista.

Pr. Welinton Pereira da Silva, representante da Visão Mundial e da Igreja Metodista, entrega doação à Sociedade Metodista de Mulheres de Angola, em 2018 (foto: acervo pessoal)

 As meninas e os meninos brasileiros não estão fora do campo de ação do grupo Vestir com Amor. Já foram enviadas duas doações ao sertão nordestino e as crianças refugiadas venezuelanas em Pacaraima – Roraima já receberam duas remessas. Já os pequenos ribeirinhos do Amazonas ganharam os presentes em duas ocasiões.

Crianças refugiadas venezuelanas foram presenteadas em Pacaraima – Roraima, pelo grupo Vestir com Amor, parceiro da Comunidade Batista de Pacaraima (fotos: divulgação)

As crianças ribeirinhas ficaram alegres com as roupas novas, enviadas pelo grupo Vestir com Amor, por meio do Barco Metodista (foto: divulgação)

Ao todo, já foram enviadas mais de duas mil peças. Assista ao vídeo:

Campanha de arrecadação de uniformes de futebol

Às vésperas da Copa do Mundo de 2018, o grupo Vestir com Amor lançou uma campanha de arrecadação de uniformes de futebol para meninos carentes do Chifre da África.

Uniforme de futebol completo para os meninos africanos (foto: Simone Judica)

Muitas pessoas se sensibilizaram com a causa e foram adquiridos 60 uniformes completos de futebol. O empresário são-roquense Diego Abib, proprietário da loja The Outlet Sports, ofereceu um excelente desconto na venda dos produtos e, mais do que isso, fez a doação de dez bolas de futebol Euro oficiais e 60 chaveiros para serem distribuídos aos meninos junto com os fardamentos esportivos.

Graças ao desconto que o empresário são-roquense Diego Abib ofereceu, foi possível comprar 60 uniformes completos na loja de material esportivo The Outlet Sports

No vídeo abaixo, as emoções da arrecadação e da entrega do material esportivo para os meninos africanos:

Luciano Lopreto, executivo são-roquense, animou-se com a iniciativa e resolveu doar uma camiseta da Seleção Brasileira autografada pelo jogador Cafu, que havia recebido das mãos do próprio atleta, para decorar o espaço da escolinha de futebol para crianças refugiadas e moradoras de rua, onde os uniformes seriam doados.

Presente especial: camisa autografada pelo ídolo Cafu é entregue ao técnico do time do Sudeste da África  (foto: divulgação)

“A camiseta autografada pelo Cafu foi entregue ao Alan, natural da Costa do Marfim, que é o treinador de um time de futebol formado por meninos de rua e refugiados no Chifre da África. Vocês não podem imaginar a alegria dele e dos meninos ao verem a camiseta com o autógrafo do Cafu. É um troféu que ficará exposto na sede do projeto social como um símbolo do valor que vocês deram àquelas crianças esquecidas e marginalizadas”, relatou a pessoa responsável pela entrega do material esportivo na África.

Problema de saúde – elefantíase – impede o pequeno de jogar futebol, mas ganhar o uniforme enche seu coração de alegria (foto: divulgação)

Por questões burocráticas, o ingresso do material esportivo na África demorou muito além do esperado, mas, finalmente, em dezembro de 2019 chegou aos destinatários, que mal podiam acreditar no presente que estavam recebendo!

Primeiro treino com os novos uniformes, em campo de futebol no Chifre da África (foto:divulgação)            

O grupo Vestir com Amor registra um agradecimento especial à loja de produtos esportivos The Outlet Sports e ao empresário Diego Abib, pelos descontos nos preços dos uniformes e pela doação das bolas Euro às crianças africanas.

O sofrimento das crianças é momentaneamente esquecido ante a alegria de ganhar o uniforme de futebol brasileiro (foto: divulgação)

Crianças ajudando crianças

No final de 2018, a professora Michele Marandola Tarcha conheceu o grupo “Vestir por Amor” por meio de sua tia, Márcia Regina Souza, integrante da equipe e responsável pela confecção de calções.

          Apresentação do “Projeto Didático Solidariedade: será que praticamos o suficiente?”, na Escola SESI 400 – São Roque, inspirado no trabalho do grupo Vestir com Amor (foto: Simone Judica)

A professora encantou-se com o trabalho e decidiu apresentá-lo à coordenação da Escola SESI 400, de São Roque, onde leciona para o 4º ano do Ensino Fundamental. A ideia foi aprovada e Michele desenvolveu no ano letivo de 2019 o “Projeto Didático Solidariedade: será que praticamos o suficiente?”.

“A princípio o projeto foi elaborado para duas salas específicas. Porém, no decorrer da campanha os próprios estudantes, com espírito de solidariedade aflorado, decidiram estender o projeto aos alunos do 1º ao 5º ano, pedindo doações de roupas de classe em classe, fazendo não só com que aumentasse a arrecadação, mas também propagando a solidariedade por toda a escola. Tenho certeza de que o projeto foi um sucesso, pois apesar do término do trabalho escolar, notei que o espírito solidário dos estudantes foi despertado”, conta Michele.

A última doação de 2019 do grupo Vestir com Amor foi entregue em Burkina Faso, oeste africano (foto: divulgação)

As impressões positivas da professora Michele são confirmadas pelos alunos, que em novembro passado receberam na escola, de maneira calorosa e entusiasmada, algumas integrantes do grupo Vestir com Amor para um animado bate-papo sobre a importância da solidariedade e também para a apresentação do trabalho final, no dia 6 de dezembro.

“Foi muito gostoso participar desse projeto, que deixou várias pessoas felizes. Aprendi que solidariedade é ser alguém bom para os outros não apenas para dar roupas e comida, mas também se importando com nossos semelhantes e ajudando quem está triste, até mesmo por meio de um telefonema. Fiquei muito alegre quando vi as crianças de longe, até da África, vestindo as roupas que nós arrecadamos, porque para elas é raro ganhar presentes e elas devem ter adorado. Meus pais gostaram de me ver participar. Eu quero ajudar mais vezes e quero ter solidariedade sempre”, disse o estudante Pedro Paulo de Andrade Braz Martins, de 10 anos.

O estudante Pedro Paulo de Andrade Braz Martins, de 10 anos, um dos alunos participantes do Projeto Didático Solidariedade, do SESI 400 (acervo pessoal)

O grupo Vestir com Amor agradece à professora Michele Marandola Tarcha, à Escola SESI 400 e a todos os alunos que cooperaram com o “Projeto Didático Solidariedade” e renova o convite para que, em 2020, continuem colaborando com esse trabalho humanitário.

Desafio para 2020: mil vestidos e mil calções para Angola

Entre os desafios que o grupo Vestir com Amor enfrentará em 2020 está a entrega de mil vestidos e mil calções para serem distribuídos em Luanda, capital de Angola, na África.

A doação será retirada em São Roque na primeira semana de julho de 2020 e seguirá para Angola no início da segunda quinzena do mês.

O grupo Vestir com Amor trabalha a todo vapor para atingir essa meta, mas falta muito para completar o total. É preciso mão de obra e material para vestidos e calções serem confeccionados e também é necessário que pessoas generosas doem as roupas que seus filhos não usam mais.

Inúmeras crianças africanas necessitam de mais roupas (foto: divulgação)

 Em junho, o grupo Vestir com Amor enviará uma doação para o Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, e ao longo do ano certamente surgirão outras oportunidades de envio, motivo pelo qual os estoques de roupas precisam ser continuamente reabastecidos.

No mês de julho, o Barco Metodista fará nova ação junto à população ribeirinha do Amazonas e o grupo Vestir com Amor novamente se fará presente nesse trabalho.

Capitã do time de futebol feminino da tribo de Cuia recebeu a bola Euro (foto: divulgação)

Como ajudar

O grupo Vestir com Amor confecciona e arrecada roupas infantis e de adolescentes.

Para ajudar é possível doar tecidos e aviamentos e também roupas infanto-juvenis em bom estado. Peças de inverno não são aceitas, pois as doações são encaminhadas para locais onde predomina o clima quente.

Pessoas que sabem costurar são muito bem-vindas ao grupo Vestir com Amor, pois no momento há poucas costureiras trabalhando na confecção das roupas.

As doações podem ser entregues na Igreja Metodista em São Roque, na Praça da República, nº 34, Centro, ou no Garfo’s Restaurante, na Rua Benjamin Constant, 227, Centro.

Escolas interessadas em fazer parceria com o grupo Vestir com Amor podem envolver os alunos em campanhas de arrecadação de roupas que não servem mais.

A alegria de ser alvo da solidariedade e do amor dos brasileiros expressa no sorriso do menino do Chifre da África (foto: divulgação)

Doações em dinheiro são destinadas à compra de material para a confecção e peças prontas e também para custeio dos fretes das doações que são enviadas por Correios ou via aérea.

Mais informações podem ser obtidas com a coordenação do grupo Vestir com Amor, pelo telefone (11)97171-9687.

* Simone Judica é advogada, jornalista e colunista do site www.vanderluiz.com.br (simonejudica@gmail.com.br)

“Leia e compartilhe a coluna São-roquices”

Sobre o autor

Vander Luiz

Vander Luiz

São-roquense, radialista e jornalista

1 comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Programa Linha Aberta

Arquivos

CATEGORIAS