SIMONE JUDICA - SÃO-ROQUICES

“VESTIR COM AMOR”: Meninos africanos recebem uniformes e bolas de futebol

*Simone Judica

Às vésperas da Copa do Mundo de 2018, a direção da organização internacional W4 AFRICA – WORKING FOR AFRICA no Brasil lançou-me um desafio: conseguir 35 uniformes de futebol para doar a um projeto humanitário voltado ao ensino de futebol para meninos carentes do Chifre da África, região de extrema pobreza situada no sudeste do continente africano.

A W4 AFRICA – WORKING FOR AFRICA tem como missão apoiar ações que promovam dignidade à população africana. Para concretizar esse objetivo, oferece apoio financeiro e envia voluntários a projetos e iniciativas nas áreas de saúde, esportes, educação, desenvolvimento social, entre outras.

Um pedido voltado a essa finalidade não poderia ser recusado.

Uniforme de futebol completo para os meninos africanos

Tão logo comecei a falar sobre a ideia de arrecadar uniformes de futebol aos meninos africanos, muitas pessoas se sensibilizaram com a causa e, ao todo, foi  possível adquirir 60 fardamentos completos, com camisa, calção e meias.

O empresário são-roquense Diego Abib, proprietário da loja The Outlet Sports, ofereceu um excelente desconto na venda dos produtos e, mais do que isso, fez a doação de dez bolas de futebol Euro oficiais e 60 chaveiros para serem distribuídos aos meninos junto com as vestes esportivas.

Ao fim da arrecadação, Simone Judica, coordenadora da campanha, obteve mais doações do que era esperado, graças à generosidade dos colaboradores.

Luciano Lopreto, executivo são-roquense, animou-se com a iniciativa e resolveu doar uma camiseta da Seleção Brasileira autografada pelo jogador Cafu, que havia recebido das mãos do próprio atleta, para decorar o espaço da escolinha de futebol para crianças refugiadas e moradoras de rua, onde os uniformes seriam doados.

Loucos pelo futebol brasileiro, meninos africanos ficaram radiantes com os presentes

O empresário Carlos Godinho ofereceu vinte uniformes completos, como uma cortesia dos Supermercados São Roque.

“A camiseta autografada pelo Cafu foi entregue ao Alan, natural da Costa do Marfim, que é o treinador de um time de futebol formado por meninos de rua e refugiados no Chifre da África. Vocês não podem imaginar a alegria dele e dos meninos ao verem a camiseta com o autógrafo do Cafu. É um troféu que ficará exposto na sede do projeto social como um símbolo do valor que vocês deram àquelas crianças esquecidas e marginalizadas”, relatou a pessoa responsável pela entrega do material esportivo na África.

Presente especial: camisa autografada pelo ídolo Cafu é entregue ao técnico do time do Sudeste da África

Por questões burocráticas, o ingresso do material esportivo na África demorou muito além do esperado, mas, finalmente, em dezembro de 2019 chegou aos destinatários, que mal podiam acreditar no presente que estavam recebendo!

Receber 60 uniformes, quando esperavam apenas 35, causou grande surpresa aos coordenadores do trabalho com os meninos africanos, que assim conseguiram ampliar o número de crianças integradas aos times de futebol. Ver, de uma só vez, uma dezena de bolas oficiais novas provocou espanto àquelas pessoas que desconhecem o significado de fartura, seja no que diz respeito à alimentação, aos bens materiais e ao afeto. Os chaveiros com uma camisa de futebol em miniatura foram recebidos e guardados por eles como joias.

A maioria dos meninos joga de chinelos, pois não têm tênis

As fotos e vídeos que ilustram esta matéria, produzidos durante a entrega e a estreia do material esportivo no Chifre da África, mostram muitos meninos  a jogar futebol de chinelos. Um par de chinelos é o único calçado que a maioria deles possui. Tênis são raros entre eles e os que os têm receberam os sapatos em doação, já usados. Chuteiras são sonhos impossíveis de serem alcançados para esses garotos que têm no treino de futebol seus raros momentos de alegria e no lanche que recebem nos treinamentos muitas vezes sua única fonte de alimentação no dia.

Assita ao vídeo:

Como muitos desses meninos são órfãos e moram nas ruas, os uniformes que ganharam tiveram de ser guardados na sede do projeto humanitário, para que sejam usados nos treinos e competições. Na situação de penúria e violência que os cerca, certamente seriam atacados e agredidos por outros meninos e até mesmo por adultos, que tentariam lhes roubar os uniformes.

Parte dos meninos presenteados vive nas ruas

O grupo Vestir com Amor, coordenado pela Sociedade Metodista de Mulheres da Igreja Metodista em São Roque, registra um agradecimento especial à loja de produtos esportivos The Outlet Sports e ao empresário Diego Abib, pelos descontos nos preços dos uniformes e pela doação das bolas Euro às crianças africanas, assim como expressa sua gratidão a todas as pessoas que doaram uniformes e contribuíram para o pagamento do frete do envio do material esportivo. Obrigada ao jornalista Vander Luiz Rosa pela edição do vídeo de divulgação desse trabalho.

Problema de saúde – elefantíase – impede o pequeno de jogar futebol, mas ganhar o uniforme enche seu coração de alegria

O resultado dessa ação conjunta de arrecadação e envio do material esportivo aos meninos da África é, mais do que emocionante, animador e desafiador. Provoca-me a buscar mais ideias, ferramentas e colaboradores, para que o trabalho de vestir com amor as crianças da Terra prossiga cada vez mais intensamente.

Junte-se ao grupo Vestir com Amor e experimente o privilégio de fazer o bem às crianças carentes do mundo.

Mais informações pelo telefone (11) 97171-9687.

* Simone Judica é advogada, jornalista e colunista do site www.vanderluiz.com.br (simonejudica@gmail.com.br)

“Leia e compartilhe a coluna São-roquices”

 

Programa Linha Aberta

Arquivos

CATEGORIAS