DESTAQUE FALECIMENTOS Outros SIMONE JUDICA - SÃO-ROQUICES

Nota de falecimento. Antônio Santo Pocciotti, 66 anos

 

Antônio Santo Pocciotti, durante o Encontro de Ex-Seminaristas do Seminário do Ibaté, em 2019.

Por: Simone Judica e Vander Luiz

Faleceu, nesta madrugada (23), o advogado Antônio Santo Pocciotti, aos 66 anos de idade, na Santa Casa de Misericórdia de São Roque, onde se encontrava internado há alguns dias, devido a uma infecção urinária que se agravou e, infelizmente, resultou no óbito.

Nascido em 6 de novembro de 1953, era também chamado de Tone ou Santo. Filho do já falecido casal João Pocciotti e Cilda Pocciotti, foi casado com Izilda e deixa os filhos Antônio Santo Pocciotti Júnior, Maria Carolina e Maria Gabriela e os netos Elisa, Larissa, Lara, Lívia, Laura, Pedro e Felipe, além dos irmãos Maria do Carmo e João Pocciotti Filho.

O velório ocorreu na manhã de hoje e o sepultamento foi realizado às 13h00, no Cemitério da Paz.

Formandos de São Roque da Turma de 1979 da Faculdade de Direito de Sorocaba. Pocciotti é o segundo, na fileira de trás, da esquerda para a direita. Da direita para a esquerda estão Eurico Cézar, Oswaldo Stefani (“Pirolito”), Fernando Luiz da Silva.

Antônio Santo Pocciotti era um dos mais conhecidos advogados de São Roque. Formou-se em Direito pela Faculdade de Direito de Sorocaba, em 1979, e construiu uma sólida carreira. Participou ativamente da 98ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil em São Roque, onde ocupou o cargo de secretário na gestão 2004/2006 e tesoureiro, no triênio 2007/2009. Também foi procurador jurídico do Município de Mairinque, na administração do ex-prefeito João Cômodo, de 1997 a 2000.

“O dia amanheceu tão triste…e é com imenso pesar que comunicamos o falecimento do estimado amigo Dr. Antônio Pocciotti, pai do também advogado Antônio Pocciotti Junior”, postou a OAB São Roque em suas redes sociais.

Nota de falecimento publicada pela OAB São Roque e Araçariguama, nesta manhã.

Antes de abraçar advocacia, Santo Pocciotti formou-se contador, em 1974, pela Escola “Barão de Piratininga”, em São Roque.

A turma de contadores formados em 1974, pela Escola “Barão de Piratininga”. Na segunda fileira, da direita para a esquerda, Santo Pocciotti é o segundo rapaz.
Santo Pocciotti na formatura do Barão de Piratininga (1974)

Quando criança, foi seminarista no Seminário do Ibaté, em São Roque. Permaneceu interno durante os anos de 1964 e 1965, conforme relembra na entrevista abaixo, concedida por ocasião do tradicional Encontro dos Ex-Seminaristas, realizado em 24 de agosto de 2019.

Também atuou como corretor de imóveis e foi proprietário da Imobiliária Lazer Imóveis, que anteriormente pertenceu a seu pais e hoje segue administrada pelos filhos Júnior e Maria Gabriela.

As atividades de Antônio Santo Pocciotti, porém, estendiam-se muito além da seara profissional. Sua participação na comunidade são-roquense, em segmentos esportivos, culturais, religiosos e políticos, sempre foi expressiva.

Foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo de 1974 a 1987, e colaborador do jornal O Democrata por muitos anos.

As credenciais de Antônio Santo Pocciotti como correspondente do jornal “O Estado de S. Paulo”.

Cultivava um carinho especial pela Romaria dos Cavaleiros de São Jorge e foi secretário da entidade no ano de 1979.

 

Santo Pocciotti, ao lado do filho Júnior, na Romaria dos Cavaleiros de São Jorge, em 1978.

 

Inauguração do obelisco de São Jorge, na celebração dos 50 anos da Romaria dos Cavaleiros de São Jorge, em 1979. Santo Pocciotti ao lado do romeiro Benedito Amaro da Silva (Castelo) e do prefeito Quintino de Lima (de costas). O obelisco fica na Av. Jonh Kennedy.

Participou ativamente da diretoria da Guarda Mirim de São Roque, nos anos 1980 e 1990, sendo o vice-presidente da entidade por mais de duas décadas.

Pocciotti presidiu o Clube Atlético Paulistano no final da década de 1970 e liderou a construção da piscina do clube, um sonho dos associados.

Presidiu o Clube Atlético Paulistano no final dos anos 1970. Durante a sua administração houve o início da construção da piscina, que era um sonho dos associados. Nesta manhã, a direção do Paulistano externou seu pesar pelo falecimento de Pocciotti: “E com muita tristeza que o clube se despede de seu ex-presidente, incentivador e torcedor ANTONIO SANTO POCCIOTTI. Nossos sentimentos a família e amigos.”, diz a nota.

ABAIXO – ENTREVISTA DE SANTO POCCIOTI NO PAULISTANO 19 DE MARÇO DE 2016

 

Agnaldo Grando, presidente do Paulistano, completa: “Bom presidente. Grande amigo.”

Entre as agremiações de que participava com mais carinho, está a Confraria de San Gennaro, formada pelos amigos de infância da Rua Padre Marçal, onde Santo Pocciotti cresceu. As reuniões aconteciam em animados jantares, na última quinta-feira de cada mês, a que não faltavam os amigos Santo Pocciotti,  Flório Guzzon, Haroldo Guimarães, João Pocciotti Filho, José Fernando Rabechini, Remo Tagliassachi Neto, Valério Sangalli, entre outros.

A mensagem de pesar do amigo Flório Guzzon Junior, da Confraria de San Gennaro, no Facebook.

 

Integrou o grupo que criou o Diretório do PSol em São Roque, em 2011, mas não permaneceu filiado ao partido.

“Muito triste com falecimento do amigo e grande batalhador pelas causas populares Antônio Santo Pocciotti . Fará muita falta . Valeu companheiro”, diz a legenda da foto de Guilherme Campos de Oliveira, que retrata integrantes do PSol São Roque, ladeando Plínio de Arruda Sampaio, em 2011.

Assim como sua família e seus amigos, a advocacia e a cidade de São Roque também se sentem enlutadas com a perda do querido Antônio Santo Pocciotti, que deixa um legado de gentilezas, solidariedade e compromisso social a todos que com ele conviveram.

Fotos: acervo pessoal de Antônio Santo Pocciotti e amigos

Programa Linha Aberta

Arquivos

CATEGORIAS