SIMONE JUDICA - SÃO-ROQUICES

“HABEMUS POETAM”

Roberto Ribeiro Lopes, no lançamento de “Simplesmente Poesias”, no Centro Cultural Cine São  José  (foto: Roger Rosa)

 

 

Por: Simone Judica*

            Concluí a leitura do livro assinado pelo amigo Roberto Ribeiro Lopes, “Simplesmente poesias”, lançado no último dia sete de dezembro, em deliciosa reunião de familiares e amigos, nas aconchegantes e nostálgicas dependências do Centro Cultural Cine São José, regada à tradicional groselha com pedrinhas de gelo, especialidade da Tia Iris Barioni.

A tradicional groselha com pedrinhas de gelo, especialidade de Tia Iris Barioni (foto: Roger Rosa)

            Até então, sabia apenas que Roberto fazia versos, como muita gente faz ou diz que faz. Como eu mesma, pretensiosamente, outrora fiz, pois também já me arrisquei e rabisquei alguns, com rima e tudo.

Havia apenas passado os olhos em alguns dos versos de Roberto, divulgados nas redes sociais, sem lhes dar a devida atenção, confesso.

O convite para o lançamento e, principalmente, ter seu livro nas mãos, com amável dedicatória, despertou meu interesse.

Capa do livro “Simplesmente Poesias”, com ilustração de Edynelson Franco

             A capa é das boas e convidativa, pois sua ilustração intriga e desperta a imaginação. Logo pensei com meus botões: para haver sido escolhida uma imagem matrimonial, o livro deve enaltecer laços e emoções de família, porém, a metade sombria dos noivos sugere a revelação dos tempos e dos lados difíceis de toda trajetória familiar.

O desenho foi assinado pelo falecido artista são-roquense Edynelson Franco, sobrinho de Vasco Barioni, uma  personalidade muito interessante que se destacou em São Roque no século XX, cuja história está no forno da coluna São-roquices, para logo ser contada, com o auxílio de meus sempre diligentes amigos leitores, que me trazem ricas informações sobre fatos e personagens de São Roque.

Na epígrafe, Roberto relata que a vontade de publicar um livro de poesias foi herdada de   seu pai, o professor Ruybarbosa Ribeiro Lopes. “Acredito que se a vida lhe tivesse dado mais alguns anos ele teria editado o seu. A morte o levou muito moço, e não lhe deu essa oportunidade”.

São-roquense,   o professor Ruybarbosa Ribeiro Lopes fez carreira no magistério longe daqui, pelo interior paulista, até conseguir vaga em sua cidade natal e ser diretor do Grupo  Escolar Professor Tibério Justo da Silva, em Maylasky, do qual se afastou por motivos de saúde. Faleceu em três de novembro de 1961, com apenas 49 anos de idade, e deixou a esposa Célia e cinco filhos. Nos anos 1940 e 1950 escreveu uma coluna chamada “Notícias Breves”, publicada no jornal O Democrata, sob o pseudônimo Rurilo.

Ruybarbosa Ribeiro Lopes, à direita, de paletó, ao lado do cunhado João Bento da Silva (acervo da família Ribeiro Lopes)

             A influência da família de Roberto Ribeiro Lopes em sua vida e em seus versos também está revelada na biografia do autor, estampada na parte interna da capa, na qual confessa que “amava sua mãe e seus irmãos de maneira sagrada”.

Tanto é assim que a poesia que inaugura o livro não poderia ter outro título, “Minha Família”, e traz o comovente e valente relato da tristeza e da união da viúva e dos filhos órfãos diante da perda do marido e pai e da missão de continuar a viver. Destaco também o acróstico nomeado “Dona Quélia” – uma belíssima demonstração de amor filial e reconhecimento pelo sacrifício materno – e os versos “Para Iris Barioni 9.1”, “Iris de todas as cores, uma mulher de amor, fibra e fé”.

“Simplesmente poesias”, ao reunir versos compostos desde a adolescência do autor,  também fala dos infortúnios e das venturas do amor e da paixão, das agruras de múltiplas saudades e despedidas, da brevidade da vida, das incertezas que atormentam a alma, dos conflitos entre os ditames da razão e do coração, do valor da amizade, dos mistérios dos sonhos e da compreensão dos pesares e desilusões na composição do mosaico da existência humana.

Não sou crítica literária e não tenho a pretensão de analisar tecnicamente o livro de Roberto Ribeiro Lopes, mas, sim, reconhecer que nele há beleza, doçura e inspiração suficientes para tocar a alma do leitor.

Como se vê, a imagem tão expressiva da capa faz jus ao rico conteúdo do livro, que muito bem resume.

A coluna São-roquices não poderia deixar de registrar quão bom é ter, em São Roque, Roberto Ribeiro Lopes a poetar e publicar.

“Habemus poetam”! Que venham, pois, mais e mais versos.

Prestigie

O livro “Simplesmente Poesia” está à venda na redação do jornal O Democrata, em São Roque, e também pode ser adquirido diretamente com o autor.

 

* Simone Judica é advogada, jornalista e colunista do site www.vanderluiz.com.br (simonejudica@gmail.com.br)

“Leia e compartilhe a coluna São-roquices”

 

Programa Linha Aberta

Arquivos

CATEGORIAS