Nota de falecimento. Celso da Silveira Moraes Filho, 76 anos

Celso da Silveira Moraes Filho faleceu aos 76 anos

Faleceu na madrugada desta quinta-feira (25 de março), o amigo Celso da Silveira Moraes Filho, 76 anos. O velório será hoje a tarde (13 às 16h) e o corpo será cremado.

Deixa a viúva Creusa Catharina Marques de Moraes, os filhos Celso Neto casado com Viviani, Marcelo casado com Marli e Priscila casada com Leandro e os netos Rafael e Giovana.

O filho Marcelo informou que o pai lutava contra o câncer que atingiu a bexiga, intestino e ossos e que se agravou nos últimos dias depois de mais de 10 anos de tratamento.

“Guerreiro, trabalhador honesto, humilde, de um coração e caráter sem tamanho foram algumas de seus virtudes neste plano.”

“Aproveitou também para agradecer a todos os profissionais que durante este tempo cuidaram do meu com excelência. Dr. Adriano Salge, Dr Eduardo Caps, Dr. Fábio Tomazini, Dr. Júlio Prestes, enfermeiros em geral, Hospital Unimed (São Roque e Sorocaba) meus sinceros agradecimentos”, postou Marcelo

Celso esteve durante muitos anos ligado ao esporte de São Roque como goleiro  de futebol de salão da Ferodo, do Paulistano e do Ipiranga e outras equipes da região.

Chegou a despertar interesse do São Bento de Sorocaba, mas  mãe achou melhor que o filho não fosse buscar uma oportunidade em Sorocaba.

No Ipiranga – clube de futsal mantido pela família da esposa -, Celso também comandou ao lado do cunhado Roque Marques a equipe de atletismo que conquistou inúmeros troféus e medalhas e que principalmente ajudou na formação de dezena de meninos e meninas.

O trabalho não contribuiu somente para a formação esportiva, mas como exemplo de vida para um grupo de garotos fortalecendo a amizade e o companherismo.

Marcelo lembra que o tio Roque comandava os treinos na avenida Antonino Dias Bastos (Marginal) às segundas, quartas e sextas-feiras. O pai era o responsável pelo treinamento técnico no Quintinão as terças e quintas.

“Era o atletismo durante a semana, treino de futsal aos sábados na quadra municipal e as corridas aos domingos”, recorda Marcelo.

Celso trabalhou no Bradesco (Cidade de Deus em Osasco), Carambeí, Carambella e por durante 35 anos foi sócio da Brasitela ao lado dos irmãos Antonio e João (morador de Salto).

Quando do início da empresa, Celso comentou que a ideia inicial que a empresa se chamasse Brasital, mas o registro não foi possível.

Perdemos um grande amigo do esporte e das coisas na nossa São Roque que tive a felicidade de entrevistar tantas vezes ao longo dos anos.

Celso com a esposa Creusa e os filhos Celso Neto, Marcelo e Priscila

Vander Luiz

Vander Luiz

São-roquense, radialista e jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *