Taxistas pedem ação da Prefeitura contra Uber; lei aprovada não foi regulamentada

 

Cerca de vinte taxistas de São Roque estiveram nesta segunda-feira (16) na Câmara Municipal cobrando uma ação da Prefeitura para que fiscalize e impeça o funcionamento do Uber na cidade. No entanto, lei aprovada no final do ano passado não foi regulamentada determinando as sanções (valor da multa).

Os taxistas alegam que o aplicativo passou a atender São Roque nos últimos dias e que mais de dez pessoas estão operando na região. Dizem que não tem como competir com o valor da tarifa cobrada pelo Uber devido aos impostos que pagam e pelo valor da corrida ser determinado pela administração municipal e cobrado via taxímetro.

Flávio Brito (esquerda) autor do projeto que proíbe Uber em São Roque ouve os taxistas na Câmara Municipal

Antes de entrarem no plenário, os taxistas se reuniram na entrada da Câmara Municipal e um deles chegou de UBER para comprovar que o aplicativo está funcionando na cidade. Ao parar no estacionamento da Câmara, o motorista ficou sabendo que estava prestando serviço a um taxista. Outros taxistas se aproximaram para um conversa, mas em poucos minutos o motorista do Uber com carro placa de São Roque deixou o local sem problemas.

Uber acionado por um taxista para corrida até a Câmara Municipal

A sessão foi interrompida para que os motoristas fossem ouvidos e o vereador Toco ligou para o chefe de gabinete Celso Mello que pelo viva voz informou que a partir desta terça-feira a Prefeitura vai intensificar a fiscalização. Celso se comprometeu a acionar o Jurídico e prometeu um novo contato com os taxistas na tarde de hoje (17).

Taxistas na Câmara Municipal de São Roque

 

 

LEI NÃO FOI REGULAMENTADA

O projeto de lei 47/L, de autoria do vereador Flávio Brito, aprovadado em 10 de outubro do ano passado, proíbe o uso de carros particulares cadastrados em aplicativos para o transporte remunerado individual de pessoas.

O prefeito Daniel da Padaria (2013/16) vetou o projeto. Em 28 de novembro, o veto foi derrubado pela Câmara. No entanto, o ex-prefeito não regulamentou a sanções. O prazo era de 90 dias e venceu no início da administração Claudio Góes.

O artigo 3 da lei diz: “Na hipótese de desrespeito a esta Lei fica o condutor e as empresas solidárias sujeitos, às sanções de multa, a serem previstas em regulamentação desta lei, além de apreensão de veículo e demais sanções cabíveis.”

O vereador Alexandre Veterinário ocupou a tribuna para exigir a fiscalização da prefeitura e lembrou ainda que os taxistas de São Roque também são prejudicados pelo transporte clandestino de passageiros (carreto) com veículos particulares principalmente nos pontos de ônibus. Neste caso, a empresa de ônibus também é prejudicada.

VEJA ENTREVISTA COM ALEXANDRE VETERINÁRIO

Aplicativo Uber operando em São Roque

3 comentários em “Taxistas pedem ação da Prefeitura contra Uber; lei aprovada não foi regulamentada

  • 18 outubro, 2017 em 7:18
    Permalink

    Gostaria de saber se vão fiscalizar os inúmeros taxistas que fazem corridas sem acionar o taxímetro? Ou que ativam a Bandeira 2, durante o horário de Bandeira 1.
    Muitas vezes, me cobraram por uma corrida até a minha casa, o valor de 10 reais, sendo que com o taxímetro, fica entre 7 e 8 reais.
    E é muito comum, pelo menos no ponto de táxi do Largo dos Mendes, não haver nenhum táxi à disposição.
    Fora que já vi taxista, usando o Aplicativo 99taxis, aqui na cidade. Tem cartão de visita e tudo!

    Resposta
  • 17 outubro, 2017 em 15:05
    Permalink

    O nome disso é máfia, no uber a pessoa trabalha livremente , no taxi tem que pagar pro dono do taxi que ganha sem fazer nada.

    Resposta
  • 17 outubro, 2017 em 10:28
    Permalink

    E ninguém pergunta para a população, que usa os serviços, se querem que tenha Uber em S. Roque,
    e antes que falem que há injustiça nos valores (mais vantajoso para o Uber) cobrados pelo serviços, lembrem que para a aquisição do veículos, os taxistas estão em vantagem.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *