Sessão da Câmara de São Roque será às 14 horas a partir da próxima semana. Guto Issa fala em perseguição

 

As sessões ordinárias da Câmara Municipal de São Roque a partir da próxima segunda-feira (14) serão realizadas mais cedo passando das 18h para às 14 horas de acordo com Projeto de Resolução 7/L/ aprovado na sessão de quinta-feira (3).

O projeto é de autoria dos vereadores Alacir Raysel, Israel Toco, Flávio Brito, Alexandre Veterinário, Júlio Mariano, Marquinho Arruda, Maurinho de Góes, Rafael Marreiro e Cabo Jean.

A partir da próxima semana sessões da Câmara de São Roque com início às 14 horas

O projeto foi aprovado com 11 votos favoráveis e três contrários na sessão sessão de quinta-feira (3), inclusive com a emeda que definiu o horário das 14 horas. O projeto original previa o início às 15 horas.

A emenda que previa e extinção do intervalo regimental de 15 minutos foi retirada a pedido de um dos autores o vereador Israel Toco.

O vereador Guto Issa classificou o projeto de mesquinho por entender que limita a participação popular no plenário e no acompanhamento ao vivo da sessão na transmissão online. Citou também que enquete realizada nas redes sociais demonstra que o projeto não atende aos interesses da população.

“Fui perseguido quatro anos pela antiga administração por não ter o rabo preso e não comer pela mão de ninguém. Neste mandato começa novamente a perseguição justamente por não ter o rabo preso com ninguém… Atiram e mim e mais um vez acertam no povo de São Roque”, citou em tribuna.

PRONUNCIAMENTO DE GUTO ISSA

“Pela quarta vez em cinco anos  é apresentado projeto para a mudança do horário da sessão. Inicialmente na legislatura passada com o interesse de prejudicar ao vereador Donizete Carteiro e a mim por sermos os únicos naquela época com emprego formal”, lembrou.

“Doce ilusão. A intenção desse projeto é prejudicar a mim não tem nenhuma eficácia. Tenho autorização legal do Tribunal de Justiça para ocupar o emprego de oficial de justiça e de vereador.

Lembrou ainda que quando a sessão foi realizada em um curto período entre junho e outubro de 2016 compareceu em todas as sessões.

O vereador Flávio Brito disse que não se trata de perseguição e que a mudança de horário vai beneficiá-lo por morar no Distrito de São João Novo e por questão de segurança.

“Tenho que fazer uma estratégia danada para poder chegar em casa por questão de segurança. Não é perseguição porque não afeta o vereador como ele mesmo disse na tribuna”, disse Flávio Brito.

Por sua vez, os vereadores Rafael Marreiro e José Luiz Piniquinho alegaram que a mudança de horário para o período vespertino vai proporcionar a participação de estudantes. Marreiro inclusive sugeriu que as reuniões das comissões permanentes também sejam transmitidas online porque tem vereador que não participa.

“No meu primeiro mandato 2000/04 a sessão era às 14 horas e a Câmara vivia cheia, tinha até o vereador mirim. Não tenho medo de rede social. Tenho apenas um emprego e me dedico integralmente ao cargo de vereador. Acho bonito ver um vereador lutar por seu interesse, mas não jogar o público contra os colegas”, disse Piniquinho.

Israel Toco disse que a mudança não irá trazer prejuízo ao vereador Guto Issa e justificou.

“Não se pode vitimizar. Jamais votarei um projeto que possa prejudicá-lo. Não dá para usar a rede social em cima de nós. Não fiquei contente com a maneira que o senhor se colocou”, disse Toco.

PRONUNCIAMENTO DE ISRAEL TOCO

Em aparte, Guto Issa disse que respeita a posição de Toco, mas salientou que é difícil justificar a mudança de opinião.

“Tenho a mesma opinião com relação ao lixo e a empresa de lixo. Não mudei”, Guto Issa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *