Prefeitura decreta requisição administrativa da Santa Casa de S. Roque. Andrea Rodrigues será a administradora.

Provedora Leila Camilo, prefeito Claudio Góes e Andrea Rodrigues que assume a administração da Santa Casa

Leia nota oficial da Prefeitura. Em breve mais informações.

Prefeito de São Roque, Claudio Góes, decretou requisição administrativa da Santa Casa. A administração será por meio de “cogestão”.

O prefeito Claudio Góes assinou, na tarde desta segunda-feira (03/12), o decreto nº 8928 determinando a requisição administrativa da Santa Casa pela Prefeitura de São Roque.

A medida visa a implantação de um plano de recuperação financeiro-operacional e da reforma estatutária da entidade a fim de torná-la Organização Social (OS), bem como assegurar a continuidade e melhoria da prestação de serviços públicos à população.

A requisição foi decidida, consensualmente, entre Irmandade e Prefeitura.

A administração deve ser feita mediante sistema de “cogestão”, onde o Executivo assume a estrutura, serviços e operações do hospital, por meio de um administrador interino, comissão gestora e comissão fiscalizadora.

Com o Decreto, a atividade da provedoria fica suspensa, todavia, o ambiente estabelecido entre as partes permite a participação consensual da Irmandade.

A administradora indicada pela Prefeitura é Andréa Rodrigues, que deixa a direção do Departamento de Saúde para assumir o cargo.

No seu lugar fica a servidora pública Daniela Groke, que ocupava o cargo de chefe da Divisão de Saúde.

O prefeito também expediu uma portaria da comissão gestora, formada por 6 integrantes, a saber: Eliam Bianchi (Chumbinho), Marcos Villaça, Efaneu Nolasco Godinho, Eduardo Stefano Filho, Itacir Ribeiro Lopes e Rubens Prado. A equipe inicia os trabalhos amanhã (05).

O prefeito Claudio Góes destaca que, neste momento, a requisição administrativa é essencial.

“Logo que assumi o governo, revogamos a intervenção administrativa da gestão passada e, devolvemos a administração para a Provedoria da Santa Casa. Houve melhora no serviço”.

“Porém, em dois anos de mandato, a entidade atravessa um período complicado, principalmente em decorrência de problemas advindos da última intervenção”.

“A Prefeitura vem fazendo o possível para auxiliar, seja com o rigoroso repasse mensal de 1,5 milhão e suplementações ao longo do ano, seja na busca de alternativas para minimizar as dificuldades”

“Recentemente contratamos uma consultoria especializada que, analisando a relação entre o Poder Público e a Irmandade, apontou para a administração conjunta, um modelo de gestão que tem dado resultado em outros municípios”.

“Estamos muito confiantes que essa medida também trará bons resultados à Santa Casa, sobretudo porque estamos podendo contar com pessoas idôneas e íntegras que não medirão esforços para que esta entidade centenária, de 146 anos, não feche as portas”, encerra o comunicado.

A requisição tem prazo de 180 dias, podendo ser prorrogada.

Vander Luiz

São-roquense, radialista e jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *