Morre Alberto Goldman, 81 anos. Ex-governador, deputado e ministro tinha ligação com São Roque

Alberto Goldman discursa em evento na Banda Carlos Gomes de São Roque acompanhado de Domingos Sarti Filho (Bé), Luiz Cláudio Campos de Oliveira e Zito Garcia

O ex-governador de São Paulo Alberto Goldman, 81 anos (12 de outubro de 1937), faleceu neste domingo (1º de setembro) no Hospital Sírio Libanês onde estava internado desde o dia 19 de agosto. Ele teve uma hemorragia no cérebro, foi operado, mas não resistiu informo o jornal O Estado de São Paulo

Goldman teve grande ligação com São Roque principalmente nos anos 80 nas administrações dos ex-prefeitos Mário Luiz Campos de Oliveira (1983/88) e Zito Garcia (1989/92).

Em várias oportunidades esteve em São Roque para participar de comícios, encontros políticos e palestras. Em 1988, acompanhou o governador Orestes Quércia na inauguração do acesso de São Roque à Castello Branco.

O ex-vereador José Carlos Baroni Garcia (Zé Balaio) deixou o PMDB para se filiar no PCB (Partido Comunista Brasileiro) e apoiar as candidaturas de Goldman a deputado federal e Antonio Rezk (1933/2005) a deputado estadual quando da refundação do partido.

Zé Balaio apoiou Goldman na campanha para deputado federal em 1986. Reprodução jornal de campanha

Goldman se formou em engenheiro civil pela Escola Politécnica (Poli da USP) em 1955, quando também deu início à carreira política com a filiação ao PCB.

Elegeu-se deputado estadual em 1970 pelo PMDB com 17.226 votos. Em 1974, foi reeleito com 75 mil votos, o segundo mais bem votado. Além dois mandatos na Assembleia Legislativa foi deputado federal por seis mandatos (1979-1986 e 1991-2006).

No governo de estado foi secretário de Coordenação Política e secretário de Administração de Orestes Quércia (1987/90). Foi ministro dos Transportes de Itamar Franco.

Em 2006, elegeu-se vice-governador na chapa de José Serra (PSDB) e assumiu o governo em 2010 quando Serra lançou candidatura a presidente.

Era adversário político do governador João Dória pediu a expulsão de Goldman do PSDB por ter apoiado a candidatura de Paulo Skaf (MDB) para o governo do estado.

O diretório municipal de São Paulo aliado de Dória expulsou Goldman. No entanto, o diretório nacional manteve a filiação do ex-presidente e um dos fundadores do PSDB.

Doria decretou luto oficial pela morte do ex-governador e ofereceu o Palácio dos Bandeirantes para o velório. No entanto, a família optou pela Assembleia Legislativa.

Goldman acompanha discurso de Luiz Cláudio Campos de Oliveira ao lado de Domingos Sarti Filho (Bé) e Zito Garcia

Goldman aplaude o prefeito Mário Luiz na inauguração do acesso de São Roque à Castello Branco
Mário Luiz, vereador Nagib Mana, Goldman e Marco Antonio Gagliardi Mendes

Goldman na inauguração do acesso de São Roque à Castello com o governador Orestes Quércia e o vice-governador Almino Afonso
Goldman de braços cruzados com Orestes Quércia, Almino Afonso e Zito Garcia (vice-prefeito de São Roque)
Goldman, Marco Antônio Gagliardi Mendes (de barba), Quércia, Almino Afonso, Antonio Carlos Pereira Rios (vereador) e Zito Garcia
Antonio Rezk, Mário Luiz, Goldman e Zito Garcia na sede do PMDB/1982. Ao lado a zabumba de Alencar do Forró
Goldman candidato a deputado federal e Rezk (estadual) pedem voto em São Roque. Reprodução jornal de campanha
Goldman e Rezk na campanha eleitoral de 1986. Os dois candidatos trocaram o PMDB pelo PCB e não eleitos

O amigo Fábio Sarti mandou fotos do pai Domingos Sarti Filho (Bé) com deputado Alberto Goldman que apresentou emenda com recursos para a construção do prédio da hemodialise em área que a Santa Casa repassou para a Prefeitura de São Roque.  Obrigado pela colaboração.

Provedor da Santa Casa de São Roque, Domingos Sarti Filho (Bé), com Alberto Goldman
Goldman, Domingos Sarti Filho (Bé) e o prefeito Zito Garcia
Vereadores José Carlos Baroni Garcia (Zé Balaio), José Carlos Camargo e Marquinho Chula agradecem ao deputado Alberto Goldman pela ajuda na instalação da hemodialise
Vereador José Camargo (cortado), Alberto Goldman, Zito Garcia, Bé. e o radilista Francisco Eugênio Azzini (Chicho). O repórter de vermelho seria o Marcelo Roque?

Vander Luiz

São-roquense, radialista e jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *