Irineu Simões da Costa

Há mais de sessenta anos o aposentado Irineu Simões da Costa, 78 anos (25 de outubro de 1937), disputa provas de pedestrianismo em toda a região. Nascido do Bairro do Marmeleiro ainda jovem começou a competir na equipe comandada por João de Candinha (único sanroquense a ganhar a Corrida de Aleluia na segunda edição em 1939).

Irineu Simões da Costa e a sua galeria de
Irineu Simões da Costa exibe troféu conquistado na Corrida de Aleluia de 2015: atleta mais experiente da prova

“Aprendi muito com o João de Candinha, era o nosso maestro. Ele não corria, voava”, diz Irineu Silveira quando se preparava para disputar a edição de 2016 da Corrida de Aleluia no dia 26 de março.

O interessante é que quando mais jovem Irineu não foi um corredor de ponta, começou a se destacar quando veterano. Hoje coleciona dezenas de troféus e medalhas na galeria que montou no quarto. Apesar da idade, tem planos de aumentar ainda mais a coleção correndo mais alguns anos.

Galeria de troféus e medalhas que Irineu mantém no quarto
Galeria de troféus e medalhas com as conquistas de Irineu Simões da Costa 

“Quando jovem tive uma úlcera e não aguentava sequer completar o percurso. Depois de uma cirurgia passei a ter uma carreira mais regular”, destaca.

Essas primeiras informações fazem parte de uma entrevista que fiz com Irineu em maio de 2001 publicada na coluna Galeria do Jornal da Economia. Na oportunidade, aos 63 anos, destacava o segundo lugar na minimaratona de Americana como a conquista mais valiosa.

Em 2016 – quinze anos depois -, Irineu participou do programa Linha Aberta que apresento na Rádio Coluna FM de São Roque, onde conversamos por mais de uma hora falando de corrida de rua e da vida.

Irineu e Vanderlei Luiz durante entrevista no programa Linha Aberta da Rádio Coluna (março/2016)
Irineu e Vanderlei Luiz durante entrevista na Rádio Coluna (março de 2016)

Em 2001 Irineu tinha como objetivo disputar a Maratona de São Paulo, mas não conseguiu realizar o sonho. Quanto às conquistas diz que não tem como destacar as mais importantes porque cada uma delas tem uma história de luta e superação.

Irineu treina diariamente correndo mais de 10 quilômetros pelas ruas da cidade em uma rotina que dura mais de 40 anos.

Irineu começou a correr com João de Candinha único sanrouqense vencedor da Corrida de Aleluia (1939)
Irineu começou na equipe de João de Candinha único sanroquense que ganhou a Corrida de Aleluia em 1939 na segunda edição da prova: “Ele não corria, voava”

Nascido no Bairro do Marmeleiro, começou capinando parreiras de uva nas adegas que existiam no bairro. Depois foi funcionário da Fábrica Nacional de Ferramentas (Guaçú), Carambeí e se aposentou na CBA. Nesse período também trabalhou no Cine Teatro São José.

Irineu não perde o entusiasmo mas lamenta a extinção de equipes de pedestrianismo da cidade. Correu pelo Ipiranga por mais de 10 anos e por mais três anos no Coringa. Por outro lado, entende que nos últimos anos melhorou a organização da Corrida de Aleluia, inclusive com uma divisão mais justa entre os atletas do veterano. “Não dá para um atleta de 70 anos competir com um de 50 anos”, comenta.

FALTA DE INCENTIVO

Apesar de tantos anos de estrada, Irineu diz que corre por amor ao esporte porque se dependesse do apoio de patrocinadores já teria desistido. “O Pupo [diretor de Esportes] está de parabéns pela organização dos últimos anos”.

Para promover a prova, o Departamento de Esportes da Prefeitura fez um vídeo, onde Irineu conta as experiências vividas na Corrida da Aleluia.

IRINEU SIMÕES DA COSTA DESTAQUE EM VÍDEO DA PREFEITURA

Premiado duas vezes (2014/15) com o troféu de atleta mais experiente da competição, lamenta apenas que nunca tenha recebido o apoio de um patrocinador. Mas sempre é tempo de uma ajuda, Irineu gostaria de ganhar um par de tênis e espera contar com a ajuda de algum comerciante.

São tantos anos de provas e poucos registros. Irineu não tem nenhuma foto competindo. Ou melhor, não tinha…

O ex-vereador José Carlos Baroni Garcia (Zé Balaio) localizou três fotos de Irineu no arquivo pessoal do pai dele o ex-prefeito Zito Garcia. Zé Balaio fez questão de levá-las pessoalmente na casa de Irineu na Vila Aguiar.

“Eu tinha prometido que traria as fotos e surgiu a oportunidade. Ele vai matar um pouco de saudades”, disse Zé Balaio.

Por sua vez, Irineu com a simplicidade de sempre garantiu “que vai fazer de tudo para subir no pódio outra vez”.

ZÉ BALAIO ENTREGA FOTOS A IRINEU SIMÕES

FOTOS DO ARQUIVO DO EX-PREFEITO DE SÃO ROQUE ZITO GARCIA 

Corrida Aleluia01 editado
Fogo simbólico 1993 na Castello Branco: Irineu Simões e o garoto Sílvio Alex Amaro de Oliveira. Equipe Ipiranga conduziu a pira de Osasco a Sorocaba
Corrida Aleluia02
Festival Aleluia 1986. Irineu Simões (à direita) terceiro colocado na categoria acima de 50 anos. Prova vencida por Wilker A. Molini (Carmo) seguido por Ataulfo Cleto (Esperia/São Paulo)
Corrida Aleluia03 Irineu Simões da Costa 42 edição
Festival Aleluia de Pedestrianismo 1989. Irineu quarto colocado no veteraníssimo (geral) e melhor sanroquense da prova. O Festival Aleluia era disputado na manhã do Sábado de Aleluia nas ruas centrais de São Roque. O gradalhão com a mão na cintura é o jornalista André Luiz Boccato (Neco)

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *