Dez anos do Instituto Federal em São Roque nesta segunda-feira com inauguração de salas de aula

Instituto Federal em São Roque comemora 10 anos com evento nesta segunda-feira (27)

Leia o texto dos professores Anna Carolina Salgado Jardim, Frank Viana Carvalho, Ricardo dos Santos Coelho e Rogério de Souza Silva (Docentes do IFSP-SRQ)

Em meio aos debates sobre os rumos da educação técnica e tecnológica promovidos pela Secretaria de Educação Tecnológica no âmbito do Ministério da Educação (MEC) do primeiro governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2002-2006), concebeu-se um Plano de Expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. Nesse contexto idealizou-se a construção de uma unidade em São Roque (SP).

Em meados de 2006, o terreno onde viria a ser o Câmpus São Roque, um prédio ainda inacabado, foi transferido para o então Centro Federal de Educação Tecnológica de São Paulo (CEFET-SP), que assumiu a responsabilidade para a sua conclusão, assim como a reestruturação do projeto educacional e aquisição de mobiliário e equipamentos.

A edificação, em questão, havia sido inicialmente projetada para abrigar uma unidade educacional do segmento comunitário. Uma equipe constituída de representantes do Programa de Expansão da Educação Profissional (PROEP) e do CEFET-SP vistoriou as obras paralisadas e abandonadas há mais de quatro anos para os devidos procedimentos.

As ações junto ao PROEP foram concluídas no primeiro semestre de 2008, permitindo que as atividades da unidade fossem iniciadas no semestre subsequente.

Inicialmente implantando como Unidade Descentralizada (UNED), o Câmpus São Roque do IFSP foi autorizado por Portaria Ministerial n° 710, de 09/06/2008. O início das atividades letivas no Câmpus ocorreu com a abertura do Curso Técnico em Agronegócio, nos períodos vespertino e noturno, turmas com capacidade para quarenta alunos cada.

A ideia inicial era que a escola pudesse ser uma instituição de ensino com vocação na área de ciências agrárias, adequando-se à história do município e ao arranjo produtivo local onde está inserido. Assim, a UNED São Roque foi pioneira na implantação de um curso técnico na área das Ciências Agrárias no CEFET-SP.

No final daquele mesmo ano, com a Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008, promulgada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a instituição foi remodelada: criou-se o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – IFSP, que em realidade, era muito mais do que uma nova nomenclatura em substituição ao CEFET-SP, mas também uma nova modalidade de ação estrutural, no formato de Instituto Federal (IF) com o mesmo status das universidades; com capacidade e autonomia para a criação de cursos nas modalidades de educação básica e ensino superior (verticalidade); e ampliação da atuação dentro da própria abrangência regional no Estado.

No final daquele primeiro ano, em função da Lei nº 11.892, de 29/12/2008, a UNED São Roque passou a ser IFSP – Câmpus São Roque. Rapidamente o Câmpus se empenhou em atender as demandas da microrregião na qual está inserido, que abrange 08 municípios.

O rápido crescimento dessa escola pode ser percebido na oferta dos cursos, no número de estudantes, de docentes e de servidores técnico-administrativos. Na Educação Básica, após a oferta inicial dos cursos técnicos concomitantes e subsequentes, a unidade começou a ofertar cursos técnicos integrados. E no ensino superior, todos os cursos já chegaram à formação dos primeiros egressos e foram reconhecidos pelo sistema MEC/INEP com excelentes notas. Abaixo, uma apresentação desse crescimento no que diz respeito aos cursos ofertados: 

Todos os Cursos ofertados pelo IFSP – Câmpus São Roque

Quadro/Síntese elaborado por Anna Carolina Salgado Jardim

O Câmpus tem se empenhado em atender as demandas da microrregião no qual está inserido, que contempla os municípios de São Roque, Alumínio, Araçariguama, Cotia, Ibiúna, Itapevi, Mairinque e Vargem Grande Paulista.

No Instituto Federal, além das aulas regulares, estão previstas atividades de extensão e de pesquisa no âmbito dos cursos. A Extensão busca a aproximação da escola com a comunidade externa estabelecendo contato com empresas e instituições de ensino a fim de promover ações de parceria, acordos, convênios, etc.

A Pesquisa tem como objetivo principal fomentar as atividades de pesquisa e inovação por meio de Programas de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIFSP), Jornada de Produção Científica e Tecnológica (JPCT), Ciclos de Palestras Técnicas (CIPATEC), projetos de pesquisa institucionais, divulgação de artigos em revistas científicas – a unidade publica uma Revista Científica de padrão internacional, o periódico eletrônico Scientia Vitae, com trabalhos nas áreas dos cursos ofertados.

O Câmpus participa de programas do CNPq e da CAPES, como o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI) e o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). Os docentes têm acesso e incentivo à formação e capacitação em programas strictu sensu e participam de programas de formação continuada no próprio instituto.

Vários projetos de diferentes áreas são realizados, como por exemplo, Ciência in Roque (escolas do município e o instituto), Integração Curricular (IFSP e a Universidade do Porto de Portugal), Empresa Júnior (curso de Administração), e dezenas de cursos de extensão oferecidos a cada semestre (Sommelier, Cerveja Artesanal, Direito Ambiental, Direito do Trabalho, Compostagem, Violão, etc.).

Estudantes do IF São Roque participam do Programa Ciências sem Fronteiras do governo federal, que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional.

Ao chegar ao seu décimo aniversário, o crescimento da instituição é um reflexo da busca contínua da qualidade no fazer pedagógico e administrativo. Do início tímido em agosto de 2008 até o crescimento verificado em agosto de 2018, a instituição se expandiu. Biblioteca, Ginásio Poliesportivo, Área de Convivência, Estufas, 16 salas de aulas, 10 Laboratórios, 10 Salas administrativas, Estacionamento para os servidores, e outros espaços pedagógicos. Agora compõem o quadro funcional 65 docentes efetivos, 09 docentes substitutos e 37 técnicos administrativos, atendendo 910 alunos presenciais nos três turnos (matutino, vespertino e noturno), sendo 315 em cursos técnicos integrados ao ensino médio (Técnico em Administração, Técnico em Alimentos, Técnico em Meio Ambiente) e 595 em cursos superiores (Licenciatura em Ciências Biológicas, Tecnologia em Gestão Ambiental, Tecnologia em Viticultura e Enologia, Bacharelado em Administração).

Assim, com quase mil estudantes, especialmente moradores de São Roque e região, o IF da Terra do Vinho busca diariamente atingir o seu objetivo máximo, uma educação pública, de qualidade e inclusiva; e, consequentemente, torna-se uma opção para aqueles  brasileiros e brasileiras que almejam uma formação profunda, descontraída, crítica e construtiva.

Fonte primária das Informações do Texto: PPC dos Cursos, PDI Institucional, Sites institucionais do IFSP e do MEC.

VEJA VÍDEOS DOS 10 ANOS DO INSTITUTO FEDERAL CÂMPUS SÃO ROQUE

Vander Luiz

São-roquense, radialista e jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *